Como parar de ficar refém de querer agradar a todos

Como parar de ficar refém de querer agradar a todos - Estilo ao Meu Redor por Eliza Rinaldi

Desde que me lembro, eu sempre lutei com a necessidade de agradar todo mundo, não porque não queria fazer coisas pelos outros, ao contrário. Mas sim porque aprendi, por tentativa e erro, que agradar sempre nunca será possível. Pagamos um preço alto quando tentamos agradar a todos, muitas vezes com nossa própria felicidade.

Mas porque é tão difícil dizer não? Não é uma palavra fácil para crianças; se você não acredita, tente dizer a uma criança de três anos para comer algo que ela não quer! Por mais que aprendamos restrições e condicionamentos sociais, o não se torna mais difícil e essa dificuldade pode ficar com a gente em nossas vidas adultas.

Ambos os sexos podem ter dificuldades, mas o condicionamento de gênero pode significar que fique mais difícil para mulheres. Desde pequenos, os meninos são encorajados a vencer, e as meninas, que meninas boas são “agradáveis”. Palavras como força e poder são “masculinas”, enquanto compaixão e bondade associamos com feminilidade. Se uma mulher não se comporta da maneira boazinha esperada, vira alvo de críticas.

Eu me orgulho de ser uma pessoa comprometida e uma boa amiga, mas, querer agradar a todos, mesmo em prejuízo de si mesmo, não é saudável. Para evitar desgaste, me respeitar e ter relacionamentos honestos, tive que aprender a dizer não; não é sempre fácil, mas tem quatro coisas que me ajudam a lembrar que eu não sou obrigada:

Não é uma ofensa pessoal

Eu me preocupava em me se sentir culpada, magoar alguém ou fazer alguém se sentir rejeitado se não fizesse o que queriam de mim. Quando eu aprendi que dizer não não era uma crítica a pessoa que me convidou, simplesmente que o convite não era o que queria naquele momento, eu me senti bem melhor. Eu tenho direito de não querer as mesmas coisas nos mesmos momentos, outros também tem e está tudo bem.

Você não precisa se explicar

A frase “não vou conseguir” é sua melhor amiga. Existem situações em que é adequado dar um motivo para negar um convite, se tiver doente e não comparecer numa reunião de trabalho, por exemplo. Mas muitas vezes, você não precisa justificar ou explicar porque não quer ou não pode fazer algo. Pratique dizer não às coisas pequenas sem se explicar. Ser adulto significa que é você que escolhe como passar seu tempo e como cumprir suas responsabilidades. É você que tem que arcar com as consequências das suas escolhas. Se não cuido da minha saúde mental e física, perco meu equilíbrio e não tenho nada a dar para ninguém.

Oferecer alternativas

Às vezes o convite não cai num dia adequado, como seu único fim de semana livre em meses e você precisa descansar. Seria muito fácil inventar uma desculpa e se esconder das mídias sociais durante o final da semana, mas não é legal viver assim. Tem uma coisa muito libertadora em dizer não e oferecer um dia alternativo. Ou, se a atividade proposta não te agrada, pense em outra opção. Se você não pode gastar, chame a pessoa para fazer uma atividade que não exige dinheiro, sem culpa.

Você não pode controlar os pensamentos de outros

Todos temos nossas próprias sensibilidades, crenças e histórias. Tem pessoas que vão se ofender e se sentir rejeitadas por você, independente de seu esforço de explicar os motivos. Se elas querem te gelar ou não respeitar sua decisão, o problema é com elas, não com você. Você fez sua parte. Elas podem te julgar, e ficar com rancor se quiserem, você não pode controlar a narrativa. O momento que eu entendi isso mudou o jogo para mim. Não somos obrigados a ficar em relacionamentos que não nos servem, a sair e a gastar dinheiro que não temos. Não sempre vai ser uma resposta adequada.

More from Eliza Rinaldi

Tênis, um trauma fashion

Eu me senti a única pessoa no mundo a não dar um...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *