Como cuidar da sua roupa para um guarda-roupas sustentável

Dicas para cuidar da sua roupa para um guarda-roupa sustentável - Mulher sorridente segurando pilhas de roupas nos braços

A ideia de ter um guarda-roupas sustentável parece boa. Mas a fast fashion trouxe, com os preços acessíveis, uma mudança no nosso relacionamento com as roupas. Enquanto nossas avós consertavam até um buraco nas meias, muitos de nós num momento ou outro tem caído no pensamento de tratar um item de roupa como se fosse quase descartável. A camiseta não lavou bem? Compra outra baratinha. 

A fast fashion surgiu para satisfazer a demanda de tendências diretas das passarelas num preço bacana. O resultado: peças de tecidos de baixa qualidade que não foram feitas para durar, e consequentemente não duram. Este parecia o preço inevitável para acompanhar a moda. 

Hoje, felizmente, nós temos mais noção do preço real de roupas baratas e há uma mudança de paradigma favorecendo o movimento slow fashion, que se importa com o impacto da produção de roupa no meio ambiente. Aqui o mantra é: comprar bem, comprar melhor.

Mas ter um guarda-roupas sustentável é muito mais do que apenas comprar peças de qualidade, exige cuidar bem da nossa roupa, para durar muito mais tempo ainda. Peças bem cuidadas retém sua cor e forma por muito mais tempo, e não tem nada sofisticado numa camisa branca cinzenta e encolhida.

Aqui vão algumas dicas para lavar, secar e guardar suas roupas que eu aprendi na época em que estudei personal styling, mais válidas hoje do que nunca!

Como cuidar das roupas para um guarda-roupas sustentável

Lavar:

Mulher envolta em toalha e com toalha na cabeça em frente à máquina de lavar roupas

Regra sagrada número 1: Sempre respeite a etiqueta de lavagem

Na etiqueta deve haver instruções de cuidados ao lavar, secar e passar cada roupa. Toda peça vem com uma etiqueta com símbolos fáceis de entender. Sempre que você adquirir uma nova peça, não deixe de ler as instruções na etiqueta antes de cortar.

Se pode ir para a máquina, lave cores parecidas juntas, eu sempre opto por separar as brancas de outras cores claras para não amarelar. Tecidos de fibras sintéticas ou de fibras mistas devem ser lavados com água fria, para evitar que a fibra seja impactada pelo calor e que a peça encolha.

Regra sagrada número 2: Delicados são delicados!

As peças mais delicadas do seu guarda-roupas sustentável, como malhas de cashmere, camisas de seda ou peças de lã e tricô requerem um cuidado maior e, portanto, a lavagem à mão é o ideal. Recomenda-se o uso de sabão em barra como o de coco ou de outros compostos suaves e naturais. Esse tipo de lavagem não agride tanto a fibra e a coloração da peça quanto na máquina. A mesma coisa para roupas íntimas e biquínis.

Secar:

Regra sagrada número 3: Secagem natural é melhor 

O vento e a luz do dia, seja no sol ou na sombra, são melhores para suas peças do que a ação de uma máquina secadora que pode estragar peças mais delicadas e encolher tecidos de fibra sintética quando expostos à alta temperatura.

Nos dias de pouco sol, é comum que a peça permaneça úmida por mais tempo, e isso pode causar mau cheiro. Quando o clima estiver assim, busque estender a roupa em locais mais arejados, com poucas peças de cada vez. 

Peças de lã brancas e cinzas, peças delicadas que devem ser preservadas no seu guarda-roupas sustentável

Na hora de pendurar blusas de tricô, linha e crochê para secar, tome cuidado para que elas não deformem. Em geral, elas tendem a esticar quando colocadas na vertical no varal e isso faz com que o peso da água escorra e coloque as linhas para baixo. O ideal é deixá-las secar na horizontal, estendidas e deitadas.

Evitar secar as roupas no cabide pois pode deformar a modelagem da peça.

Guardar:

Regra sagrada número 4: Nada de plástico na hora de guardar 

Evite colocar roupa em capas de plásticos, como aquelas usadas em lavanderias. O material retém calor, favorecendo o surgimento de mofo. O ideal são os modelos feitos de tecidos respiráveis, como o TNT ou o algodão cru. 

Malhas e tricôs não devem ser pendurados em cabides para não ficarem deformados. Prefira dobrá-los e também mantê-los em prateleiras.

Fila de cabides de veludo pretos com roupas brancas.

Regra sagrada número 5: Jamais pendurar roupa nos cabides finos da lavanderia

A escolha de cabide é muito importante no seu guarda-roupas sustentável. Cabides de madeira são uma boa escolha para roupa, porém eles ocupam bastante espaço no armário. Eu gosto de usar cabides finos de veludo para a maioria das minhas blusas e vestidos, pois não marcam a roupa e tecidos sedosos não deslizam. 

Para as peças mais pesadas como casacos e blazers, aposte em cabides mais largos nas laterais e que suportam o peso. Mais uma vez, não cubra com capas de plástico, prefira capas feitas de tecidos arejados.

O inverso também vale. Nunca use cabides mais largos que os ombros da peça para não deformar a peça. 

Quando possível, pendure calças e saias em cabides especiais com dois grampos para não marcar a peça no meio. Um super hack de meus dias como stylist é colocar um pedaço de tecido entre a peça e o grampo do cabide para evitar marcar.

Duas calças jeans penduradas em dois cabides. Peças em jeans são as mais fáceis de cuidar no guarda-roupas sustentável.

Uma exceção à regra são peças feitas de jeans: pode fazer tudo, rolar, pendurar, dobrar, só evitar de lavar em excesso.  

Dica final do guarda-roupas sustentável:

Lembre-se de colocar apenas um item por cabide porque o que não é visto costuma não ser usado.

Para minhas dicas para cuidar e guardar bolsas e sapatos, dá uma lida nesta matéria.

More from Eliza Rinaldi

Cozinhar com Folhas de alho Selvagem

Me dá dó jogar fora qualquer tipo de alimento e adoro a ideia...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *