Tudo que você precisa saber sobre o ácido glicólico

Pessoa aplicando ácido glicólico em spray

O ácido glicólico é um daqueles ingredientes que aparece em vários produtos de cuidados da pele. Marcas como Biossance, Dermage e Skinceuticals vendem produtos com o ingrediente nas suas linhas antienvelhecimento. Ouvi dizer que é ótimo para espinhas, para nivelar o tom de pele e para manter uma pele jovem. Mas como e quando usar, e será que faz bem para seu tipo de pele? Aqui no EAMR procuramos as respostas a essas perguntas para você!

O que é o ácido glicólico?

O ácido glicólico, tipicamente derivado da cana de açúcar, é um ácido orgânico da mesma família dos ácidos láticos, conhecido por facilitar a penetração de substâncias na pele, além de possuir ação de radicais livres e auxiliar na formação de colágeno. É considerado um esfoliante mais agressivo, sendo preferencialmente indicado em peles mais resistentes e mais claras.

Indicações do ácido glicólico

 É uma alternativa menos irritante ao ácido retinóico, conhecido por agredir um pouco mais a pele.

Foto de embalagens transparentes contendo ácido glicólico

Ele é ótimo para pele com tendência a acne

A acne começa quando células mortas ficam presas nos poros de nossa pele, e como o ácido glicólico ajuda a soltar as células mortas, além de agir no nível do folículo para uma limpeza profunda de sebo e sujeira, ele pode ajudar a reduzir a acne.

Ele tem vários benefícios para a prevenção de envelhecimento da pele. O ácido glicólico diminui a espessura da pele, tem efeito esfoliante na pele, propiciando clareamento e estimulando a síntese de colágeno na derme, com isso age na reversão e prevenção do envelhecimento cutâneo, na melhora de manchas, de cicatrizes. 

Ele aumenta a absorção de outros produtos

Outra vantagem dessa substância é aumentar a absorção de outros ativos associados na composição, no caso dos cosméticos.

Nem todos os produtos com ácido glicólico são iguais

O acido glicólico, em vários níveis de potência, é encontrado em produtos cosméticos diversos, incluindo tonalizantes, máscaras, hidratantes e sabonetes faciais. A porcentagem ideal para uso caseiro seria de 8 a 30%. Quando usado em peelings, o produto pode ter um pH mais alto, já que será usado por um profissional. Para maior segurança no uso do ácido glicólico diariamente, é recomendado que os cosméticos tenham pH no valor mínimo de 3,5, com concentração de, no máximo, 10%. O uso de cremes manipulados deve ser feito com orientação médica.

Rosto feminino com mão aplicando ácido glicólico em conta-gotas

Quem deveria estar usando?

O ácido glicólico é bom para quase todo mundo, fora quem tem pele muito sensível. Pessoas de peles mais escuras devem tomar cuidado usando alta concentrações para evitar manchas. Adolescentes podem usar para controlar acne.  

Como usar o ácido glicólico

Diferentemente do ácido retinóico, o ácido glicólico pode ser usado de dia e no verão, pois não é fotossensibilizante. Em casa, deixar agir na pele por duas a três horas.

Peelings

O ácido glicólico também pode ser utilizado no consultório para peelings químicos considerados superficiais. Nesses casos, sua concentração é maior, assim como seu pH pode ser mais baixo.

Em peelings, deixar agir na pele entre 15 a 20 minutos e retirar no próprio consultório. Cada sessão deste peeling pode durar de 45 minutos a uma hora e o número de sessões necessárias depende do foco do tratamento. Normalmente, a manutenção é feita depois com o uso do creme em casa.

Os peelings com essa substância devem ser feitos preferencialmente por dermatologistas.

Contraindicações

O uso do ácido glicólico é contraindicado para quem têm infecções ativas na pele, como herpes simples ou infecções bacterianas e deve ser evitado em pessoas com pele muito sensível. Além disso, o ideal é que não seja feito por pessoas que necessariamente se expõem ao sol, seja por praticarem esportes, viajarem ou por trabalharem ao ar livre.

Pessoas de pele negra devem tomar cuidado, pois podem ter um efeito rebote de hiperpigmentação, que pode manchar a pele.

O uso do ácido glicólico é contraindicado em gestantes.

Existem riscos ou efeitos negativos?

Pessoas com alergia ao ácido glicólico podem apresentar reações. Se ele for usado em concentrações muito altas, pode queimar e manchar a pele, além de formar bolhas, por isso é preciso ser feito com um profissional de confiança.

Os resultados são variáveis e dependem da concentração do ácido glicólico, do tempo de permanência (no caso dos peelings) e das características da pele do paciente. De forma geral, resultados podem ser notados a partir do segundo ou terceiro mês de uso. Quando realizado na forma de peeling, no qual as concentrações são maiores, os resultados aparecem mais rapidamente, dentro de semanas. Peelings seriados com concentrações que aumentam progressivamente podem ser indicados e apresentam resultados rápidos e satisfatórios para a maioria das condições indicadas. Outros princípios e procedimentos podem ser associados ao tratamento para potencializar os resultados.

Tags from the story
More from Eliza Rinaldi

5 coisas que eu aprendi com uma criança de dois anos!

Faz um ano desde a última vez que compartilhei aqui as cinco...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *