PFW 2018: Drama, cores e inovação digital

PFW 2018: Drama, cores e inovação digital | EAMR

A semana de moda de Paris encerrou o mês de moda com bastante drama. Veja abaixo os destaques dos meus desfiles preferidos.

PFW 2018: Destaques

Miu Miu – Rebelde sem causa

Sempre haverá um lugar no meu coração para Miu Miu, as coleções sempre apostam numa estética retrô cool com uma vibe kitsch oriental e é uma formula que funciona. Nessa temporada, a musa retrô era rebelde, com cabelo alto ou cortado e um mix de texturas, camadas e cores que deu uma pitada de sal na receita.

Comme des Garçons – Mais é Mais

Rei Kawakubo seguiu a filosofia de que mais é mais criando uma coleção composta de babados, rendas, perucas e proporções oversized. Uma rejeição da tribo do prêt à porter e see now buy now e um sim à criatividade e ao excesso. Kawakubo tomou sua inspiração do trabalho de 1964 ‘Notas de camp,’ da Susan Sontag, que traduziu em uma coleção Comme des Garçons cheia de fantasia e joie de vivre.

Balenciaga vira Hightech

Esse foi um desfile importante para Demna Gvasalia. Nunca será fácil dirigir uma casa tão icônica como a Balenciaga, mas o estilista personalizou o desafio, resistindo à tentação de imitar a alfaiataria de perfeição de Cristóbal Balenciaga. O missão de Demna Gvasalia foi recodificar essa alfaiataria para a era digital. Os corpos dos modelos foram escaneados em 3D, as provas foram virtuais e as formas foram impressas. Teve um aspecto 3D na passarela que foi acentuado pelo uso de camadas; um look em particular teve uma semelhança impressionante ao look do Joey Tribbiani circa 1997, um fato que não passou despercebido nas redes! Além do uso de alta tecnologia, foi a primeira vez na história da casa que homens e mulheres andaram juntos. Mas algumas coisas eram mais familiares, o desfile não ficou sem estampas florais e cinturas marcadas que são o carro chefe da casa.

Chanel e um bosque outonal

Lagerfeld nos levou para um bosque outonal, onde as folhas acabaram de cair e tem musgo nas turfeiras. Tweeds, pérolas, casacos e outras peças identificáveis como “on brand” eram misturadas com metálicos suaves, smoking de estampa floral e até conjuntos de moletom em cores primárias. 

Para ler sobre a Milan Fashion Week, clique aqui!

More from Eliza Rinaldi

Tudo que você precisa para montar seu home bar

Nada te faz parecer mais em controle da sua vida “adulta” do...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *