Lançamento do livro “Somos iguais, mas diferentes” com sessões de bate-papo com autora e ilustradora

Evento acontece dia 05 de junho, das 10h às 15h, no Espaço Saíra

Para quem procura uma programação infantil neste final de semana, no domingo, dia 05 de junho, a autora, Laís Palma Elsing , lançará seu primeiro livro, Somos iguais, mas diferentes.

Leve, doce e delicado

Leve, doce e delicado, o livro é dirigido ao público infantil, a obra, ilustrada por Luciana Romão, fala sobre diversidade e beleza em harmonia… afinal ninguém é igual a ninguém e está tudo bem!

O lançamento acontecerá no Espaço Saíra – livraria, café e restaurante – um sobrado acolhedor localizado à Rua Doutor Samuel Porto, 396, a cinco minutos da estação Saúde do metrô (linha azul), que nesse dia contará com opções veganas de lanches, refeições e doces a partir de R$6,00.

Cheia de muito amor

A Laís é mãe das trigêmeas de 3,5 anos Athena, Sophia e Helena, que têm paralisia cerebral. Depois de fecharem o grau de paralisia cerebral de cada garotinha quando elas tinham dois anos (o diagnóstico da deficiência ocorreu aos oito meses), Laís começou a pensar em escrever um livro para contar sobre as diferenças entre as meninas, mas a correria do dia a dia não permitia.

Até que um dia conseguiu sentar e em menos de uma hora já tinha o texto e um rascunho com ideias de ilustrações. Só faltava o encerramento, resolvido com uma sugestão de Fernando Vidigal Bucci, seu marido.

“Pensei em me dirigir às crianças em fase inicial de leitura porque elas são mais abertas a tudo, inclusive às diferenças, e ganhariam muito convivendo com pessoas diversas”, conta a autora que criou o perfil triveganas nas redes sociais onde mostra a rotina bem humorada, às vezes difícil, mas sempre cheia de muito amor, da família.

Sociedade capacitista

A neurociência comprova que todos têm condições de aprender e se desenvolver cognitivamente, ainda que o limite de cada um seja diferente.“Infelizmente, em uma sociedade capacitista como a nossa, que enxerga os deficientes como menos capazes que os demais, é difícil colocá-los na escola (privada ou pública), não por falta de vaga, mas de recursos tanto humanos quanto materiais; perde a escola com a falta de diversidade e os alunos com uma educação excludente”, constata Laís que luta incansavelmente pelo direito das filhas à educação de qualidade para terem oportunidade de atingir seus máximos potenciais. Para ela, a situação só vai mudar quando as crianças com deficiência começarem a ter visibilidade e a existirem como sujeitos de direito como garante a Constituição.

Para as crianças e os pais

Cheio de brinquedos, lápis de cor e gizes de cera para as crianças brincarem, além de fraldário e sala de amamentação com poltrona e bercinho para conforto dos pais, o local foi pensado para aproximar os infantes do universo literário. Somos iguais, mas diferentes já está disponível online e no Espaço Saíra por R$40,00.

Tags from the story
More from Eliza Rinaldi

Como REALMENTE alcançar seus objetivos em 2019!

Feliz 2019! Espero que suas comemorações tenham sido lindas! Por aqui, a...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *