EAMR Roundup: Semana de Moda de Milão

Semana de Moda de Milão | Outono Inverno 2017 | EAMR

Ciao Milano! Confira o nosso RoundUp da Milan Fashion Week e conheça nossos desfiles e tendências preferidos da MFW.

Mais é mais

A Gucci abriu os “trabalhos” com um desfile de mais de 100 looks. O show, pela primeira vez, mostrou menswear e woman´s wear juntos, desafiando noções tradicionais de o que é roupa de mulher e de homem. Referências não faltaram, entre pérolas, patchwork, anos 20, sedas orientais, botas cowboy, wildwest, botas de cobra, punk, xadrez, sportswear anos 80, a mensagem da Gucci era mais é mais!

Na Jil Sander teve proporções exageradas e fortes, ombros redondos, repetindo a ideia do novo terno feminino que vimos na Versace, em cores suaves e outonais.

Mulheres fortes…

Na Missoni a coleção foi “criada pela mulher contemporânea, que enfrenta os desafios da vida moderna, mas nunca esquece o poder da natureza”. O desfile foi um Missoni clássico, uma explosão de cores e estampas. Para encerrar as modelos andaram de “pussyhats”: toucas rosas, um tributo aos modelos usados recentemente em manifestações de mulheres.

Na Bottega Veneta vimos o abandono do estilo sportswear que esta por todo lado nesta temporada, e uma volta a uma silhueta estruturada, anos 40. Com ombros fortes e uma cintura marcada.

Na Moschino, o Jeremy Scott nos ensinou que “Couture is an attitude,” as modelos incuindo Kendall Jenner, as irmãs Hadid, Anna Cleveland e Adwoa Aboah, desfilaram roupa inspirada em caixas de cartaz e reciclagem.

Na Prada o foco era no conforto. Pense em tricô com estampas geométricas.

E estampas fortes

Na Emilio Pucci o desfile foi vibrante com looks de cores ácidas e tecidos cheios de brilho e uma ousadia no uso de franjas. A marca, famosa por suas estampas, não decepcionou com a presença de estampas Paisley e animal.

A paisley que vimos na Pucci voltou em tons mais fortes na Etro, numa coleção inspirada por “visões caleidoscópicas”. A passarela foi decorada com bandeiras coloridas e pulseiras, colares com estampas animais foram colocados por cima de casacos maxis com estampa Paisley. Um “clash” de estampas era essencial.

A Fendi optou por manter um glamour mais adulto, sem abrir mão de uma pitada de diversão através de botas “thigh high” vermelhas de bico fino junto com calças folgadas de alfaiataria. O duplo F da Fendi voltou, o que significava “Fun Fur” foi rebatizado como “Feminine Fendi,” contou o Karl Lagerfeld.

Na Max Mara conforto foi pra frente da agenda. Na coleção, inspirada na arquitetura escandinava, destacaram-se tecidos como mohair alpaca e casacos de shearling.

O romance, a historia e a cultura de Veneza inspirou Alberta Ferretti e toques do tétrico apareceram em veludo cheio de pedras e mascaras de carnaval. Uma vibe street style quebrou o drama com suéteres dos dias da semana.

More from Eliza Rinaldi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *