Um vestido que poderia ter sido roubado do guarda-roupa da sua avó e alguns fatos sobre moda vintage

Um Vestido que poderia ter sido roubado do guarda-roupa da sua avó e alguns fatos sobre moda vintage | EAMR

Hoje tem mais uma #EAMRveste da série roupa que poderia ser da sua avó. Comprei este lindo vestido o ano passado numa viagem para Buenos Aires. Aliás, super indico a loja Juan Perez na Calle Marcelo T de Alvear 1335! Para facilitar o garimpo, as peças de marca e o vintage de verdade ficam no térreo da loja, enquanto no primeiro andar tem peças de brechó que são em geral mais baratas.

Um Vestido que poderia ter sido roubado do guarda-roupa da sua avó e alguns fatos sobre moda vintage | EAMR Um Vestido que poderia ter sido roubado do guarda-roupa da sua avó e alguns fatos sobre moda vintage | EAMR   

Fotos nesse post: Brina Magalhães

Brechó, vintage e retrô

Muitas pessoas usam os termos brechó e vintage de maneira intercambiável, mas para ser chata específica, brechó é qualquer coisa que é segunda mão, sem precisar ser de uma década ou origem determinada. Pode ser até da coleção atual da Zara que alguém resolveu doar, não importa, isso é brechó e em geral é um preço mais em conta do que vintage de verdade.

Para ser classificada como vintage a roupa precisa ter no mínimo mais de 20 anos de idade. Então peças dos anos 90 podem ser vintage sim. Mas as décadas mais reverenciadas são os anos 80, 70, 60 & 40. Lembrando que mais velho não significa mais barato. Pense em vinho 😉

Já que a gente entrou nesta linha, roupa retrô (com origem na palavra francesa rétrospectif) se refere a um artigo que está fora do estilo predominante na atualidade, quer dizer, pode ser algo novo que tem um estilo retrô. Isso não exclui a possibilidade de uma peça ser retrô, vintage e brechó ao mesmo tempo. Na verdade esses são os melhores achados.

Algumas dicas para comprar em brechó e usar moda vintage

Pra mim, fazer compras em brechó é uma adrenalina forte, mas você tem que mudar sua mentalidade. Vá com tempo, vá com roupa que é fácil de tirar ou de colocar outras peças em cima. Você está criando sua própria visão e possibilidade para as peças, então se só consegue pegar coisas de araras arrumadas e coordenadas, você está perdendo, só se encontram pérolas na bagunça mesmo! Adoro me inspirar nos descartes de outros, pois não é um padrão pronto, você é quem decide as regras.

Um Vestido que poderia ter sido roubado do guarda-roupa da sua avó e alguns fatos sobre moda vintage | EAMR Um Vestido que poderia ter sido roubado do guarda-roupa da sua avó e alguns fatos sobre moda vintage | EAMR

Uma regra importante é que você tem que esquecer o tamanho na etiqueta e experimentar! Este vestido era enorme e parecia um saco de batatas quando experimentei. Eu me apaixonei pela estampa e tecido anos 80 e a partir disso consegui vê-lo mais justinho.

Um Vestido que poderia ter sido roubado do guarda-roupa da sua avó e alguns fatos sobre moda vintage | EAMR Um Vestido que poderia ter sido roubado do guarda-roupa da sua avó e alguns fatos sobre moda vintage | EAMR

Originalmente pensei em encurtá-lo, pois faço isso com muitos vestidos vintage da mesma linha, mas resolvi ajustar o tamanho e ver como ficava antes de decidir. Fiquei tão feliz que não cortei, pois adoro o comprimento. Já usei com salto para dar uma palestra, mas nada melhor do que um converse e um toque de verde no meio da selva de pedra.

 Um Vestido que poderia ter sido roubado do guarda-roupa da sua avó e alguns fatos sobre moda vintage | EAMR Um Vestido que poderia ter sido roubado do guarda-roupa da sua avó e alguns fatos sobre moda vintage | EAMR

 

Eliza Rinaldi

"Em assuntos de grave importância o estilo, não a sinceridade, é a coisa vital." Oscar Wilde