Como desenhar a vida que você quer, sem medo

Desde o ano passado, eu tenho criado um costume meio estranho, devido aos períodos de insônia, eu experimentei vários métodos para dormir, e por um motivo, escutar um Ted talk, na cama, funciona super bem. Talvez seja o fato de ouvir alguém falando coisas inspiradoras, que me permitem “desligar” do dia-a-dia e pegar no sono. Na outra noite, escutei um TED sobre se tornar a pessoa que você realmente é, seu verdadeiro eu, e outro sobre desenhar a vida que você quer. Talvez não sejam conceitos tão revolucionários, mas eles realmente ressoaram comigo. Eu costumo deixar medo e autoestima estima baixa me tirarem do caminho dos meus objetivos.

É normal a gente ter inseguranças

Mas quando elas te paralisam e inibem seu progresso, você tem que aprender a fingir até conseguir, como diz o ditado popular em inglês. Não estou promovendo ser falsa mas, se você não acredita em você, quem mais vai? Você deve conhecer pessoas que tem tanta autoconfiança que outros também acreditam nelas. Não é o trabalho de outras pessoas definir o mérito e o tamanho de nossos sonhos.

Você já percebeu que quando começa a fazer alguma coisa e não tem medo de aparecer fazendo aquilo, as pessoas começam a te ver dessa forma, por exemplo: se você gostaria de ser maquiadora, os passos seriam fazer um curso, praticar, e fazer maquiagem a toda oportunidade que tiver. Assim as pessoas vão te enxergar como maquiadora e te procurar conforme a necessidade. Não adianta guardar esse sonho para você mesma sem falar para ninguém, ou até falar que você gostaria de um dia se tornar maquiadora, é preciso agir. Você tem que ter responsabilidade sobre sua própria vida, fazer escolhas que te deixam cada dia mais próxima dos seus sonhos. Escrevi uma matéria com dicas práticas de como alcançar seus sonhos.

Abandonando o medo

Você pode estar dizendo que tudo isso parece óbvio demais, mas quantos de nós não gostariam de mudar várias coisas em nossas vidas? Às vezes ficamos presas a como os outros nos veem. Isso é particularmente verdade para mim, eu tenho um grande problema em divulgar meu trabalho, sinto-me envergonhada e como se não tivesse valor suficiente para falar de mim. Mas o fato é que este comportamento me sabota, eu escrevo e isso acaba me expondo, mas, se eu não divulgo meu trabalho, quem vai? Acredito 100% que meu blog poderia ter crescido mais rápido se não tivesse ficado presa a esse medo.

Às vezes temos até receio de descobrir o que queremos, porque quando é um desejo que vem do coração, nos sentimos vulneráveis, às vezes nem conseguimos falar do que queremos fazer com medo que outros riam ou julguem velho demais/ jovem demais/sem talento etc… A pior coisa que podemos fazer é nos limitar a esses julgamentos, ou fazer uma coisa meia boca, com o pensamento de que “se não deu certo, não dei todo meu esforço”. Precisamos ter coragem de dar nosso melhor.

Não importa se não tiver uma paixão gritante óbvia, não tem nada errado em experimentar com várias coisas, ou ter mais de uma carreira na vida, o que é importante é estarmos sempre sendo honestos e verdadeiros sobre o que queremos e não esperar tudo cair dos céus!

Esse realmente foi um post um pouco diferente para mim, me falem aqui nos comentários se gostaram!

More from Eliza Rinaldi

2018, uma retrospectiva

Chegou o momento do ano em que costumamos olhar para trás para...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *