Amir Slama nos levou para os anos 80 com uma mensagem atual

Amir Slama nos levou para os anos 80 com uma mensagem atual

Na Amir Slama, as modelos tomaram a passarela fortes e decididas em tecidos metalizados, justos, ríspidos e reluzentes. Se alguém ainda estiver na dúvida, as cores vivas deram mais uma pista, os anos 80 foram a inspiração!

Amir Slama nos levou para os anos 80 com uma mensagem atual Amir Slama nos levou para os anos 80 com uma mensagem atual

O corpo estava em foco: leggings, vestidos que envolvem as curvas, biquínis minúsculos em desenho asa-delta. O desfile teve uma sensualidade e o corpo não escapa ao olhar, mas sob a luz do flash da câmera teve uma outra mensagem, que se prova cada vez mais importante: a igualdade de gênero.

Amir Slama nos levou para os anos 80 com uma mensagem atual Amir Slama nos levou para os anos 80 com uma mensagem atual

Sexismo Invisível

O detalhe inusitado ficou por conta da tinta escolhida, que só aparecia graças à luz do flash. Quem estava no desfile só pôde ver as frases quando as modelos foram fotografadas com flash.

Amir Slama nos levou para os anos 80 com uma mensagem atual Amir Slama nos levou para os anos 80 com uma mensagem atual

Trata-se da campanha ‘Sexismo Invisível’, idealizada pelo Estado e assinada pela agência de publicidade FCB, com o objetivo de promover o debate sobre o assédio nem sempre explícito (mas muito comum) cometido contra as mulheres. A intenção foi convidar homens e mulheres a uma reflexão sobre o assédio sexual: “Encontramos uma nova forma de chamar a atenção para uma questão que deveria ser óbvia: a liberdade das mulheres de se vestirem como quiserem, sem que isso seja interpretado de forma diferente pelos homens”, explica Marcelo Moraes, Diretor de Marketing do Grupo.

As frases eram: “Decote não é convite”, “Minha saia não é permissão”, “Me visto como eu quiser” e “Perna de fora não é provocação”. A ação foi ativada no evento pela hashtag #decotenãoéconvite.

Eliza Rinaldi

"Em assuntos de grave importância o estilo, não a sinceridade, é a coisa vital." Oscar Wilde

Comments are closed.