5 regras inigualáveis para fazer boas compras em lojas vintage:

Eu adoro um bom brechó e tenho alguns verdadeiros achados garimpados de lojas vintage. Adoro intercalar meus looks com peças únicas de fontes inesperadas, e muitas pessoas me perguntam como eu consigo fazer isso sem parecer figurino, ou mais importante, como achar essas pérolas?

Estou ensaiando fazer essa matéria há um bom tempo, mas finalmente saiu, então lá vão…

Minhas 5 regras inigualáveis para fazer boas compras em lojas vintage:

1. Vintage ou brechó?

Entender a diferença entre brechó e vintage: Muitas pessoas usam os termos brechó e vintage de maneira intercambiável, mas para ser específica, brechó é qualquer coisa que é segunda mão, sem precisar ser de uma década ou origem determinada. Pode ser até da coleção atual da Zara que alguém resolveu doar, não importa, isso é brechó e em geral é um preço mais em conta do que vintage de verdade. Para ser classificada como vintage, a roupa precisa ter no mínimo mais de 20 anos de idade. Então peças dos anos 90 podem ser vintage, sim. Mas as décadas mais reverenciadas são os anos 80, 70, 60 & 40. Essa distinção é importante, pois vai te guiar em termos de preço e visão.

2. Tenha Visão

Falando em visão, fazer compras em brechó é uma adrenalina forte, mas você tem que mudar sua mentalidade. Não adianta ir até uma loja brechó e querer um visual pronta entrega, tem até lojas vintage que fazem isso hoje em dia, mas o preço reflete isso; na minha opinião, perde o sentido de garimpar. Você está criando sua própria visão e possibilidade para as peças, então se só consegue pegar coisas de araras arrumadas e coordenadas, você está perdendo, só se encontram pérolas na bagunça mesmo! Adoro me inspirar no descarte de outros, pois não é um padrão pronto, você é quem decide as regras.

3. Ignore o tamanho na etiqueta

https://www.instagram.com/p/BxAqw69HFJU/

Uma regra importante é que você tem que esquecer o tamanho na etiqueta e experimentar! Este vestido era enorme e parecia um saco de batatas quando experimentei. Eu me apaixonei pela estampa e tecido anos 80 e a partir disso consegui vê-lo mais justinho. Quando se trata de roupa vintage de fato, vale a pena lembrar que os tamanhos tem mudado e MUITO nas últimas décadas, se você costuma usar 36 e um 40 fica apertado em você, é a vida vintage bebê, supera!

4. Sem ideia fixa

Se você for à loja vintage com uma lista de compras ou uma peça específica em mente, 9 entre 10 vezes você vai acabar se frustrando. Invista em peças clássicas e atemporais, ou faça uma lista mental das tendências atuais que você está curtindo para ver se acha uma peça que entre nelas. Mas, evite ir procurando uma saia de determinada cor e tecido, por exemplo. Sim, é importante fazer a análise de como você vai usar uma peça determinada com outros itens do seu guarda-roupa, mas seja flexível e deixe a inspiração fluir, o tal pensar fora da caixa.

5. Com calma, você vai chegar

https://www.instagram.com/p/Bwus2rVFjlx/

Vai com tempo, garimpar não pode ser uma experiência corrida, você precisa de tempo para procurar, para considerar, e para voltar para as araras de novo depois de provar. Esteja preparada para tirar e colocar a roupa várias vezes, então vá com roupa que é fácil de tirar ou de colocar outras peças em cima, como um vestido leve ou leggings e camiseta.

Espero que essa matéria tenha sido útil, pensei em aproveitar minha viagem e fazer um vídeo mostrando minhas lojas vintage preferidas de Londres. Me fale nos comentários, é algo que gostaria de ver?

More from Eliza Rinaldi

Como aproveitar o máximo de uma semana em Ibiza

Tudo que eu fiz numa viagem de 5 dias em Ibiza!
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *